Mulher de mentira

mae-vaidosa

Sempre achava engraçado mulheres que gastavam muito dinheiro com cremes, roupas sapatos e transformações corporais.

Eu pregava por aí que nunca seria uma mulher de mentira, nunca gastaria dinheiro com estas futilidades e seria o mais verdadeira possível.

O mundo deu tantas voltas e me colocou frente a frente com todos os meus questionamentos.

Acabei de completar 20 anos e estou em uma fase bonita da vida, onde aprendi a me cuidar mais, querer mudar. Não mudar para os outros se agradarem visualmente, mudei pra me agradar visualmente.

Faço parte daquele grupo de mulheres “fúteis” que  tem um creme para cada parte do corpo, milhares de esmaltes (mesmo nunca fazendo a unha em casa), sapatos para sair, sapatos para trabalhar, maquiagens espalhadas por toda a casa.

Quer saber como eu me sinto agora? Me sinto livre…me sinto bem. É bom ter opções de roupas, de sapatos e qualquer outra coisa. É bom escutar meu marido dizer que eu estou muito cheirosa, me dizer que sou bonita. Eu ainda acho que certas coisas são exageros, eu ainda desnecessário se modificar tanto, mas neste exato momento entro em conflito comigo mesmo, menina toda tattooada, com sorriso novo graças a um aparelho ortodontico, que enxerga o mundo com um olhar mais sexy graças a seu óculos novo e sua sobrancelha que pagou caro para ornar com o rosto e o corpo magrelo que nunca a satisfez será trabalhado em uma academia.

Por que julgar se eu não sei o que as outras mulheres de mentira sentiam, e se elas começaram assim fazendo coisas pequenas e sentiram mais e mais prazer em se ver?

Eu estou muito feliz, mesmo.

A ideia do silicone paira pelo ar, mesmo eu detestando cirurgias, mas seria muito melhor do que passar o resto da vida sem peitos. Se eu tenho uma chance de melhorar eu vou ir atrás. Sempre fui assim com qualquer outra coisa e não poderia ser diferente agora.

 

Comentários

comentários

Nas categorias: Feminice

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado