Meu parto normal :)

Ainda não entendi por que muita gente me olha horrorizada quando eu digo que tive o Arthur de parto normal.

Desde o primeiro momento que fiquei sabendo que estava gravida eu desejava ter meu filho de parto normal, eu sei que é meio hipócrita falar que eu não queria ter minha barriga cortada e costurada mas  esta é realmente a verdade.

Eu não queria de jeito nenhum ficar com uma marca horrível na minha barriga sem precisão.

MAS É CLARO que se precisasse eu faria (alias não teria escolha).

Desde o inicio minha gestação foi tranquila e o Arthur ficou na posição bem cedo o que aumentava as minhas espectativas de poder ter ele da forma mais natural possível, e assim se fez.

Ele nasceu de parto normal, é claro que eu fiquei em trabalho de parto 25 horas mas em momento algum eu me arrependi da minha escolha, sabe essa história que o povo conta que para ter filho é a pior dor do mundo que parece que tu vai morrer TUDO MENTIRA, acredito que algumas mulheres sentem muita dor mas outras nem tanto e gente cada parto é um parto nenhum vai ser igual tu pode ter 10 filhos vai ser diferente do outro.

No dia 08/11/2012 eu me senti totalmente realizada.

eu dei baixa no hospital as 09 e pouca da manha, mas já estava em trabalho de parto desde as 23 hrs do dia 07/11.

Não posso dizer que foi tudo tranquilo, por que o Arthur veio antes do tempo eu tive problemas no final da gestação então a previsão era de que eu e ele precisaríamos de  um leito em um hospital maior e com mais infraestrutura. Eu continuei lá  quieta, sem chorar e sem gritar, apenas com os olhos vidrados em um relógio que estava atrasado, horas tapava a cabeça com um cobertor quando a dor era forte horas pedia para ir ao banheiro (para aumentar a dilatação).

Chegando a hora me levaram para algo que parecia um banco de tão pouco espaço que havia ali para me acomodar, me ergueram as pernas e o Dr. pediu que eu fizesse força que o bebe já estava saindo, mas como eu disse foram 25 horas ali aguentando quieta, eu não tinha força sozinha então ele me disse: -Na próxima contração faz uma forcinha. Alguns segundos depois a dor veio e no mesmo instante fiz força.

Gente vocês não imaginam como foi ver o bebe saindo, o espanto o alivio a emoção.

Eu não pude pegar o Arthur, pois ele precisava ser examinado as pressas.

Logo após o parto tive uma crise de euforia, eu não conseguia parar de rir e conversar (coitado do médico e das enfermeiras), ele me explicou que o que eu estava sentindo e a maneira que estava agindo era normal, devido ao que passei, após me cuidarem e me falarem que ele estava bem fui para o quarto.

Nenhum de nós dois precisou de atendimentos depois (outro hospital etc).

Tudo ocorreu tão bem que nem parece que passamos por aqueles dias ruins um mês antes (posto sobre o assunto/susto/medo depois).

A minha recuperação foi instantânea, eu só tive um pouco de dor de cabeça no outro dia devido as forças que fiz.

Tomei banho e lavei o cabelo e acreditem EU NÃO FIQUEI LOUCA (hahahahah).

No outro dia eu fiquei espantada com o estado em que as mulheres que faziam cesária chegavam ao quarto, serio eles não conseguiam fazer nada sentiam muitas dores e os bebes não conseguiam mamar no peito (não sei se é assim com todo mundo, mas aquelas lá tive até pena).

 

Este foi meu relato e gostaria de dizer que se eu tiver outro filho (é claro que terei) sera de parto normal também se tudo ocorrer bem, mas se precisar é aquela história né tudo pelo amor maior do mundo, meus filhos.

um grito de dor

Comentários

comentários

Nas categorias: Feminice

Tags: , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado