Mas um deles se perdeu no caminho

 

Dá o play enquanto lê:

Dá o play enquanto lê: TROVOA 

Os dois estavam juntos o tempo inteiro. Todos os dias, todas as noite.

Mas um deles se perdeu no caminho.

Mesmo depois de um mês ninguém sabe em que momento isso aconteceu. Talvez tenha sido depois daquele dia de mudança caótico, um ficou escondido dentro de uma caixa e o outro seguiu a vida. Talvez tenha sido depois daquela festa que brigaram, um esbarrou em outra alma mais iluminada e seguiu se perdendo do outro. Talvez tenha sido naquele dia que um deles saiu atrasado, correu tanto que esqueceu o outro ali embaixo do lençol.

Ficou uma sensação de: Logo vai passar, arruma essa bagunça e deixa tudo bem.

Lembrei da última vez que arrumei teus lençóis, pensando em tudo que havíamos planejado para as férias de inverno e como eu iria juntar dinheiro para uma possível viagem no fim do ano.

Cuidar de mim agora é quase que implorar para deixar a “casa” arrumada para quando você voltar, mas talvez não tenha como arrumar o que desmoronou.

Quando você foi embora a maior dificuldade era ficar bem comigo mesma. Eu precisava me amar, precisava aceitar que eu era boa o suficiente. Pois com tua partida parecia que eu nunca tinha sido o suficiente pra ti: não era bonita, inteligente, madura e qualquer outra coisa, eu não conseguia me ver de verdade.

O mês passou rápido demais. Ainda tenho na memória meu reflexo no espelho com o rosto inchado em muitas lágrimas. Eu também senti pena de mim. Fiquei pensando: Como alguém pode fazer uma crueldade dessas contigo guria, logo tu, que te moldou tanto, correu mais do que tuas pernas aguentavam por NADA.

Minha playlist de Pop não será reproduzida por um bom tempo, era ela que embalava nossas manhãs corridas que nunca pareciam o suficiente para matar a saudade.

Vi que tu postou foto na feirinha, fiquei com um nó na garganta… Era nosso programa favorito. Liniker ainda toca aqui, cada música me desmonta de uma maneira diferente. Parece que todo mundo resolveu postar fotos de Gramado, me lembro de todos os planos de passeios… dá vontade de ir agora para a rodoviária. Eu voltei a odiar Masterchef.

Quem inventou essas recordações do Facebook foi a pessoa mais sem coração deste mundo!!

Qual a necessidade de me lembrar que ano passado eu estava dando pulinhos por te conhecer?

Queria que tivesse um algoritmo lendo que tudo que postei ultimamente foi sobre dor e saudade, e evitasse de me mostrar o NESTE DIA. Por que agora durante mais uma ano eu vou lembrar de ti todos os dias.

Eu passei a odiar a última semana de Julho.

Minha cabeça não tem ajudado muito, parece que o mundo ainda gira em como era quando éramos um casal, cada vez que vejo uma imagem ou um texto sobre amor no Facebook sinto raiva. Eu lembro que raramente passava um dia sem te marcar em algo que falasse de amor e como era bom te ter por perto.

A vida tem parecido um dominó, depois que a primeira peça caiu, todo o resto veio abaixo. O vício por café aumentou, a cerveja e o cigarro tem me feito companhia ultimamente.Há muitos porquês que eu gostaria de saber a resposta. Mas não tem sido fácil mantermos um diálogo.

Eu ainda estou no mesmo lugar, o meu coração ainda não te esqueceu. Ele ainda não quer te expulsar daqui de dentro – Mesmo você já tendo deixado bem claro que não vai voltar.

Quem vê de fora, está me elogiando, dizendo que estou seguindo bem e fica feliz por eu ser forte. Quem ta aqui lado a lado já não suporta mais os picos onde horas eu sou a pessoa mais forte do mundo e outras estou deitada em posição fetal chorando.

A ficha demora a cair.

Comentários

comentários

Nas categorias: Estilo de vida

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado