“Criança não trabalha, criança da trabalho”

Sobre o titulo: Mais ou menos isso :)

Eu sempre admirei aquelas mães que com um simples olhar faziam os filhos pararem de chorar, aquelas mães que precisavam falar uma única vez com os filhos para que eles as entendessem.

Agora que sou mãe e tento fazer isso com o Arthur tenho uma certa estranheza com essas mamães que eu tanto admirava.

Agora que eu tento fazer com que o Arthur me escute apenas uma vez vejo como ele se sente, pois para ele parar de chorar e me ouvir as vezes tenho que falar mais alto que ele chorando e vejo o espanto no olhar dele, ele realmente fica com medo.

MAS NÃO É ISSO QUE EU QUERO, eu quero que ele entenda que se eu disse não é por que realmente não pode fazer algo.

Decidi que não quero ser essa mãe que DO MEU PONTO DE VISTA precisa causar medo em seu filho, agora tenho outras formas de falar com ele.

Como faço:

  1. Falar sempre a verdade: Se eu quero que ele entenda algo quero que entenda o certo e o errado, se ele não pode mexer em algo por que vai se machucar pegamos ele no colo ou nos abaixamos bem pertinho dele e falos :- Arthur, ai não pode, machuca vai fazer um dodói na mão.
  2. Falar onde vamos: É claro que ele não vai entender muitas coisas, mas é bom que ele saiba que eu realmente vou sair com o papai para ver a vovó, que vamos no mercado ou até mesmo que ele vai dormir no vô por que vamos sair, para mim isso talvez não mude nada o fato que ele vai chorar e querer ir atrás de nós, mas o fato de estar falando a verdade desde cedo pode criar laços de confiança entre nós três desde cedo.
  3. Dormir sozinho: Como qualquer criança o Arthur tem seus dias de dificuldades para deitar na cama e dormir sossegado, passamos por dias de muito choro muita manha na hora de dormir, eu respiro fundo coloco ele no carrinho tento embalar, muitas vezes não adianta e ele chora mais ainda, então pego ele no colo e faço nanar mas se realmente não adiantar coloco ele na minha cama o que parece magica ele deita lá e logo já esta em sono profundo (o que eu não gosto muito de fazer né pois se ele dormir mais de uma noite na nossa cama é uma batalha maior que a anterior para faze-lo voltar para a cama dele).
  4. Tenha paciência: as coisas não acontecem da noite para o dia, temos que ter muita calma e não apresar os pimpolhos. Claro que você deve estimular seu filho a caminhar, comer e falar, mas CALMA, eles vão caminhar quando se sentirem seguros o suficiente para descobrir até onde podem ir, eles vão segurar a colher para comer e fazer lambuzo quando tiverem as mãos firmes o suficiente para levar a comida até a boca (ou até a bochecha na maioria das vezes), falar é o mais demorado do meu ponto de vista, pois depois que ele passam da fase do dada, bobo etc vem uma linguagem própria deles tipo Pocoyo= Cocoió. Pato= Pata. Água= Acu. São palavras que eles criam para se expressar melhor e que muitas vezes são bem parecidas com as que estamos querendo que eles aprendam e se seu filho já esta nesta etapa não deixe ele falar errado, se ele repetir errado fale mais uma vez a palavra correta para mostrar que tem sons diferentes.

 

Nós nem sempre fomos calmos e tivemos paciência para esperar o Arthur completar etapa por etapa, mas o tempo nos mostrou que não deveríamos ficar atrás dele forçando ele a crescer, hoje em dia deixamos ele livre para se desenvolver bem, agora que ele vai para creche ele esta aprendendo muitas coisas novas e é tão bom quando ele chega em casa e nos mostra algo novo ou fala uma palavra nova *—*

Ficamos bobos.

Ele esta super inteligente, criativo e ativo.

Libertem seus filhos deixem eles serem crianças!

CLARO QUE DEVEMOS EDUCAR IMPOR LIMITES SABER FALAR NÃO, MAS TAMBÉM NÃO DEVEMOS FORÇA-LOS A AMADURECER TÃO DEPRESSA.

Mãe-e-filho

=)

Espero que

tenham gostado

do texto.

=)

Comentários

comentários

Nas categorias: Filhos

Tags: ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado